Autossabotagem

Entenda a autossabotagem

A autossabotagem é um comportamento inconsciente que impede a pessoa de seguir seus propósitos e pensamentos. A sistematização deste comportamentos adquire um viés de de auto punição para não chegar ao sucesso esperado ou conquistar algo pelo qual almeja.

Esse comportamento pode ter origem em traumas na infância. Nas relações familiares podem ocorrer traumas por sentimentos e desejos proibidos pelos pais que ao longo do tempo vão sendo carregamos até a fase adulta. 

Pode ocorrer também por diversas motivações que nos acometem durante a vida. Pela reflexologia sabemos que este comportamento afeta o funcionamento de nosso intestinos. Como sempre abordo, saúde é uma estrada de mão dupla. Se o emocional afeta o físico, o físico afeta o emocional e desta forma um problema intestinal pode gerar um gatilho para comportamentos de autossabotagem.

A autossabotagem costuma nos colocar em situação de procrastinação e ter origem em diversos fatores, como o estar com pouca energia (vitalidade baixa) para realizar qualquer coisa.

 

Deixar atividades inacabadas ativa em nossa mente emoções e sentimentos negativos como a culpa e a vergonha. Os sentimentos negativos amplificam o comportamento. Uma das formas de evitar esta armadilha é acreditar que se você deixar algo para fazer mais tarde, o resultado não será melhor que o que se obterá se terminar imediatamente, por ter melhores condições e tempo.

 

Procrastinação é portanto ausência de sucesso, e neurologicamente, a inativação da área do VTA para produzir o neurotransmissor dopamina. A dopamina é o neurotransmissor que é liberado para uso no cortex pré-frontal em ocasiões onde nos sentimos realizados e vitoriosos. 

Pode prejudicar o coração, afetando a pressão arterial. Aumenta o estresse e as condições inflamatórias. Também afetam a pessoa a não fazer atividades físicas. Com o passar do tempo, a pessoa pode ficar mais sujeita a depressão. 

Seu cérebro não esquece suas obrigações e o inconsciente cobra, e percebemos isto de forma indiretas como o aumento da sensações de medo, culpa e desanimo.

Um dos sintomas que percebemos no comportamento procrastinador é executar as tarefas próximo a sua data de conclusão. Neste caso, parece que nos comprometemos apenas para evitarmos o constrangimento. Cabe neste momento uma pergunta:

_Você deixa as tarefas para serem realizadas próximo a data de sua conclusão?

Esta atitude irá mantê-lo em estado de maior ansiedade e podendo causar desequilíbrios em sua saúde. Em algumas pessoas, se a atitude for constante, pode gerar pânico (medo), que causará a completa incapacidade de reação. Este é um mecanismo de defesa de nosso organismo contra uma situação de estresse crônico. Nosso cérebro, quando entra neste estado crônico fica incapaz de vencer pequenos obstáculos e a procrastinação será em si uma barreira intransponível. Este é um dos mecanismos para um quadro depressivo. Faça a si mesmo algumas perguntas:

_Tenho medo de ir para a vida e de assumir responsabilidades?

_Tenho medo de quebrar a cara?

_Tenho medo de ser avaliado ou criticado?

O antidoto para situações de bloquei pelo medo passa pela ousadia! Para avançar na vida, nosso desejo deve ser maior que nosso conforto. Para isto, tenho que tornar meu ambiente desconfortável e me desafiar.

Algumas cresças podem minar nossa energia, aumentando as chances de procrastinarmos. Uma crença que deve ser avaliada é a cresça de tenho que vencer sozinho e ser auto suficiente. 

Perguntas para avaliar o tamanho do incômodo causado pela autossabotagem:

_Como seria minha vida se eu não procrastinasse?

_Quantas coisas eu deixei de fazer e vivenciar devido a este mecanismo?

Este incômodo pode causar um processo de rebeldia, o que pode levar a um conflito entre nosso lado consciente e inconsciente, podendo gerar oscilação em nosso humor.

Na Reflexoterapia, sinalizações observadas nos pés na área reflexa do ílio (final do intestino delgado), é indicativa que o interagente tem tendência a estar em processo de autossabotagem. As sinalizações mais comuns são manchas e descamações na pele da região reflexa, e esta área costuma também ser bem sensível ao toque. O estímulo realizado nesta região reflexa irá fornecer  recursos pela neuro plasticidade para que a pessoa haja de modo mais assertivo em suas atividades.

Deve, neste caso, tomar o cuidado de verificar se há um fator motivacional para a autossabotagem. Algumas perguntas que irão ajudar ao reflexoterapeuta a buscar estas motivações:

_Para as tarefas lhe parecem chatas ou desagradáveis, você tem dificuldade de começa-las? 

_Você espera que se esperar mais o problema irá desaparecer ou será realizado por outra pessoa?

_Não sabe como iniciar e desta forma nunca as inicia?

_A tarefas lhe não estão de acordo com seu propósito de vida, ai você usa isto para se justificar e não fazer?

Quando a resposta a algumas destas perguntas for sim, normalmente a pessoa para não iniciar uma atividade, inicia alguma outra mais prazerosa e se perde no tempo. Se este comportamento for comum a você, repare que parece que você nunca tem tempo para tudo o que tem por fazer e você percebe isto como uma sensação de cansaço crônico. Atividades como assistir mais um episódio de sua série preferida, ou a um novo vídeo nos canais do YouTube ou gastar horas percorrendo inutilmente as redes sociais ou vendo noticias aleatórias podem estar lhe impactando sua vida! 

Para exemplificar, quando abordamos a falta de energia para iniciarmos as atividades, o reflexoterapeuta deverá testar a região reflexa do baço. Se esta estiver sensível, poderá  indicar comprometimento na vitalidade e seu estímulo deverá ser incluído no protocolo terapêutico do tratamento para a autossabotagem.

Prosseguindo, novo questionamento deverá ser realizado pelo reflexoterapeuta. A falta de vitalidade é consequência ou causa. Se for consequência, busque a causa. Para efeito didático, esta causa pode estar na perda de autoestima. Em sendo, a área reflexa do coração deverá também ser trabalhada. Este raciocínio deverá continuar até se ter a percepção de estar trabalhando uma causa raiz.

 

Somos realmente muito complexos e o entendimento psicossomático e fisiológico deve ser bem compreendido pelo reflexoterapeuta para se construir uma terapêutica eficaz.

Protocolo básico da reflexos para tratar a autossabotagem. Áreas reflexas evolvidas: 
1)    Hipotálamo;
2)    Hipófise;
3)    Pineal;
4)    Coluna com ênfase na vértebras C1, C2, T12,  L1 e Cóccix;

5)    Circulação;
6)    Fígado;

7)    Baço;

8)    Hipocampo;

9)    Área tegmental ventral (VTA);
10)  Nervo vago;
11)  Intestino delgado com ênfase na região reflexa do ílio;
12)  Válvula ileocecal;
13)  Intestino grosso;
14)  Reto (medo de errar);
15)  Ânus.

Se o interagente tem dificuldade de enxergar que esta procrastinando ou não enxerga meios de fazer diferente, deverão ser também trabalhadas as áreas reflexas:

16)  Na coluna ênfase na vértebra C2;

17)  Nervos óticos;

18)  Olhos;

19)  Plexo Solar (esquecido, sem foco, mente cansada).

Se o interagente tem dificuldade para começar suas atividades, deverão ser também trabalhadas as áreas reflexas:

20)  Tireoide;

21)  Paratireoide.

 

Se o interagente, em decorrência de sua autossabotagem, esta muito estressado e constantemente ansioso, deverá ser também trabalhada a área reflexa:

22)  Suprarrenais;

Se o interagente, em decorrência de medos de situações já vivenciados, não tem coragem para iniciar suas tarefas, deverá ser também trabalhada a área reflexa:

23)  Rins;

24)  Ureter;

25)  Bexiga;

Se o interagente, em decorrência de baixa autoestima, não acredita ser capaz de vencer, deverá ser também trabalhada a área reflexa:

26)  Coração;

Recomendações:
1)  Buscar desenvolver bons hábitos e evitar os maus hábitos. Saiba como:

2)  Para termos energia para caminharmos devemos buscar:

  • Atenção com processos de rebeldia (quero do meu jeito);

  • Ter um foco;

  • Escrever tudo que me incomoda;

  • Estar presente;

  • Abolir a crenças que poderei vencer sozinho;

  • Ter disciplina;

  • Autorresponsabilidade.